Notícias


AMATRA1 participa do Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho, em Brasília

A AMATRA1 participou do Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho, nesta terça-feira (5), na Câmara dos Deputados, em Brasília. O presidente da associação, Ronaldo Callado, a secretária-geral, Lila Carolina Mota Pessoa Igrejas Lopes, e os diretores Jorge Lopes e Roberta Ferme representaram a associação na manifestação. O evento foi organizado pela Anamatra, em parceria com outras entidades trabalhistas.

Callado destacou a importância da mobilização permanente contra as ameaças aos direitos trabalhistas e à Justiça do Trabalho. “É fundamental que estejamos engajados para evitar novos retrocessos sociais em nosso país. Esta luta não começou agora. As ameaças à Justiça do Trabalho vêm de décadas. Mas voltou com muita força neste momento o discurso de extinção. Por isso precisamos permanecer atentos, e este ato é uma demonstração da força da nossa mobilização”.

Os desembargadores do TRT-1 (Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região) José Nascimento Araujo Netto e Carina Rodrigues Bicalho também prestigiaram o ato, além da juíza Raquel Braga, representante da AJD (Associação Juízes para a Democracia) no Rio.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O presidente da Anamatra, Guilherme Feliciano, destacou que desde a década de 1950 a Justiça do Trabalho enfrenta ameaças à sua existência. Lembrou dos ataques sofridos nos anos 1990 e afirmou que a Justiça do Trabalho vencerá mais esta batalha. “Resistimos àquela investida e saímos mais fortes, com a ampliação da nossa competência. Que venham mais competências e mais desafios. Que não privem os brasileiros da Justiça do Trabalho. Vida longa à Justiça do Trabalho!”

Feliciano também reforçou que o papel da Justiça do Trabalho não é gerar lucros para os cofres da União, mas promover a pacificação social, garantindo direitos sociais e a segurança jurídica. “Em tempos de esforços e discursos para a conciliação nacional e para a contenção de gastos, a Justiça do Trabalho tem relevante papel a cumprir. Seu abalo, ao revés, sinaliza o oposto: tensão, ruptura e dispêndio. Não é, a bem dizer, uma escolha de Sofia. Chega a ser intuitivo.”

As vítimas da tragédia em Brumadinho (MG) foram homenageadas durante o evento. O rompimento da barragem da Vale pode se tornar o maior acidente de trabalho da história do Brasil. Representantes da Procuradoria-Geral do Trabalho, da OIT (Organização Internacional do Trabalho) e parlamentares de diversos partidos também participaram da manifestação.

O ato foi organizado pela Anamatra, em parceria com com a ANPT (Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho), a Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União), a Abrat (Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas) e o Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Cleia Viana/Câmara dos Deputados



Mais Notícias



VOLTAR