Notícias


Entidades lançam nova campanha no Dia Mundial e Nacional de Combate ao Trabalho Infantil

Nesta terça-feira, dia 12 junho, data instituída como Dia Mundial e Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, entidades se reuniram, no Museu do Amanhã, para o lançamento da campanha “Piores Formas: Não proteger a infância é condenar o futuro”. Promovida pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil – FNPETI -, a campanha está em consonância com o tema sugerido pela Organização Internacional do Trabalho – OIT e visa lançar luz sobre as mais degradantes formas de trabalho infantil enumeradas na lista TIP, tais como o trabalho doméstico, práticas análogas à escravidão, prostituição, atividades ilícitas e funções que oferecem risco à saúde e segurança da criança e do adolescente, entre outras.

O seminário teve como foco mobilizar, informar e convocar toda a sociedade na luta pela erradicação do trabalho infantil. Dados do IBGE estimam que mais de 1 milhão de crianças e adolescentes trabalham ilegalmente no Brasil. Para a representante da Amatra1 no Acordo de Cooperação para Combate ao Trabalho Infantil no Estado do Rio de Janeiro, desembargadora Gloria Mello, o tema escolhido é urgente. “Nós precisamos de políticas públicas voltadas, prioritariamente, aos mais vulneráveis. Na medida em que não cuidamos da infância e da adolescência de modo adequado, estamos prejudicando o futuro de todos. A campanha deste ano põe em relevo este aspecto”, ressaltou.

Também representante do Acordo, Ana Cláudia Figueiredo participou da mesa de abertura do evento. “Um dos grandes objetivos do Acordo é buscar a articulação e integração entre as instituições. É importante destacar que as ações propostas não têm sido restritas à luta contra o trabalho infantil, mas também contra violações de direitos de um modo geral, uma vez que entendemos que o trabalho infantil, muitas vezes, é porta de entrada para outras violências”.

Ao longo do dia, diversas atividades culturais e oficinas de sensibilização foram promovidas para o público jovem e para os profissionais da rede de proteção de crianças e adolescentes.

O evento foi promovido em parceria pelo Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção ao Trabalhador Adolescente do Rio de Janeiro (FEPETI/RJ), pelo Comitê de Proteção Integral a Crianças e Adolescentes nos Megaeventos do Rio de Janeiro e pelo Acordo de Cooperação para Combate ao Trabalho Infantil no Estado do Rio de Janeiro.



Mais Notícias



VOLTAR